quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A minha 1ª moto

Pensei em escrever aqui umas palavras sobre as motos que já tive e cheguei á conclusão que vai ser uma tarefa árdua!
Não sei se me vou esquecer de alguma mas se me esquecer de alguma ou algumas, a "elas" peço desculpa!

Para iniciar este desafio nada melhor do que falar naquela que foi a minha primeira moto:

 Pode dizer-se que a  paixão por veículos motorizados já nasceu comigo, pois desde criança sempre adorei automóveis e motos. No entanto, a paixão pelas motos só veio realmente ao de cima, já na adolescência, quando os meus amigos começaram a comprar as primeiras motos...e eu a sonhar. Fazia o gosto ao "dedo", pedinchando a uns e outros uma voltinha, ou lá ia eu todo feliz à pendura sonhando com o dia em que finalmente teria uma...até que esse dia finalmente chegou.

Antes de mais deixem-me dizer-lhes que lá em casa sempre foram de uma forma ou outra contra as motos (ou a tudo o que eu fizesse, mas isso são outras histórias...) e sempre que eu falava em motos o meu pai apenas me dizia "se quiseres uma moto vai trabalhar, ganha dinheiro e compra uma, pois não sou eu que irei comprar-te uma coisa dessas!"
Como sempre fui um filho muito bem mandado (xiiii, que aldrabão, lolol) foi isso mesmo que fiz e ao fim de alguns meses, consegui juntar vinte contos (100 euritos), que naquele tempo era muito dinheiro para comprar uma moto...hum...motorizada...

Toca a ver anúncios e encontrei uma magnifica Casal Boss K166, por vinte contos. Lá fui eu até ao Restelo e é escusado dizer que foi amor à primeira vista.

Linda de morrer, azulinha, toda de origem...mas aquele ruido no motor...fazia cá uma zoada...mas estava tão feliz, tão feliz, que nem mesmo as palavras do pai do dono a dizer-me "não se esqueça que é uma motorizada  com muitos quilómetros e que pode vir a ter problemas", me alertaram para os problemas da Casal Boss.

No dia seguinte e depois de fazer o seguro e comprar um belíssimo capacete da marca NEV (alguém se lembra?) lá fui eu todo feliz buscar o meu motão!

Pois...a minha felicidade apenas durou três dias! Aquela zoada intensa que mal deixava ouvir o escape eram os rolamentos da cambota "nas couves". E pronto, lá foi a Casal Boss para a oficina, onde ficou até ao fim do mês. Recebi o ordenado e.. toca a pagar os 6.400§00 (32 euros) ao mecânico. Levou rolamentos de cambota novos, assim como piston e segmentos. O escape foi descarbonizado e até teve direito a uns punhos novos, uma maravilha!


Depois? Bem, depois foram dias maravilhosos a bordo da pequenita Casal Boss. Viajar até Cascais ou até à Costa da Caparica eram grandes aventuras e quando disse que ia até á Figueira da Foz de Casal Boss chamaram-me maluco e inconsciente, mas lá fui eu até à Figueira, com a moto carregadinha e o certo é q foi e voltou tendo apenas que mudar o cabo de acelerador que se estava a partir. De resto foi sempre a andar!

Tanta coisa fiz com aquela pequena motorizada e tanta coisa ela me ensinou. Foi com ela que "saquei" os meus primeiros "cavalinhos", com ela fiz as primeiras derrapagens, com ela dei as primeiras quedas e com ela passei as primeiras vergonhas a conduzir uma moto. Não acreditam? Pois...então o que me dizem duma paragem de autocarro a abarrotar de gente, cheia de miúdas giraças e aqui o ás do guiador querer fazer uma grannnnnde travagemmmm derrapando mesmo à frente daquela malta toda, com a desculpa de ir falar com um amigo?
 Lá venho eu do outro lado da rua todo lançado, a vinte/trinta metros inicio a travagem....por azar travo com a roda de trás em cima dum bocado de papelão...e passo à frente daquela gente toda a derrapar com o rabo!! Vergonhoso não acham? Pois...ainda hoje quando penso nisso fico com o meu ego assim, como direi, um bocadinho em baixo.....

domingo, 25 de outubro de 2009

Assim até dá gosto

Este Domingo, eu e a filhota fomos a mais um passeio do ´Maxiscooters de Portugal. e que passeio!


1º penso que se bateu o recorde de presenças nos eventos do Maxiscooters de Portugal, pois eramos mais que muitos. Muitas scooters, algumas motos e também alguns automóveis a acompanhar a enorme comitiva.

2º Foi notável a forma como este passeio foi organizado. O núcleo duro do Maxiscooters, conhecido como "os malucos das scooters voadoras", deram mais uma lição (como se tal fosse preciso!) na forma de gerir e conduzir uma enorme caravana de scooters durante vários quilometros, sem falhas e sem se perder ninguém pelo caminho.

3º O comportamento de toda a malta, sempre com muito juizinho e muito civismo na estrada, sem dúvida um grande exemplo para muitos Motoclubes e afins que por aí existem e que digamos, se portam de forma menos positiva na estrada, em nada dignificando os motociclistas portugueses.



Quero aqui também salientar de forma especial os novos maxi-companheiros que trouxeram uma grande lufada de ar fresco ao Maxiscooters de Portugal.

Tenho também de falar na minha pendurita, a Inês, que como sempre acompanha o "kota" do pai aos passeios que se realizam mais perto de casa e que ela tanto adora.


Encontro às 9H15 em Massamá, seguido de viagem até Almada, ponto de reunião de toda a malta e depois ala que se faz tarde até á Fábrica dos Pasteis de Santo António, para tomar o pequeno-almoço, pois o barrigão já pedia combustível!
"Depósito" atestado, comprar uns pasteis de nata para a "esponja" porque senão bem passava a semana a "pão e água" (pasteis esses que iam ficando em cima da mesa, se não fosse a Mónica a trazê-los) e lá vamos nós em grande caravana passear até ao Seixal.
Paragem no Seixal onde deu para conversar com alguns companheiros e depois, enquanto uns seguiram para uma bela almoçarada, o resto do grupo lá foi rumando às suas casas, tal como nós também fizemos.

No regresso ainda tivemos a companhia da familia Botelho, ele mais o filhote na sua imponente "Kawasuki" 1000 e ela na lindissima Sym Joyride 125 que ainda cheirava a nova.

Resumindo, não conheço melhor forma de passar a manhã de Domingo! Até à próxima!!!!!!!!


(clicar nas fotos para aumentar)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Fotos da Keeway acidentada

Tal como tinha prometido aqui estão as fotos da Keeway.
Infelizmente não deu para tirar melhores fotos pois a Keeway estava estacionada num sitio de difícil acesso, tinha à sua moto várias motos e não quis incomodar o Tó, com o " tira lá essas motos todas daí para eu tirar umas fotos!".
Acabei só por tirar estas duas, mas pelo estado da suspensão da frente dá para ver como foi o "estoiro"!




Felizmente o Rui está a recuperar bem e segundo ele, 2ª Feira já deve voltar ao trabalho! Yessssssssss!

(clicar nas fotos para aumentar)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Más noticias

Pois é... mais um acidente! Não, desta vez não fui eu. Foi um dos meus estafetas que infelizmente teve um acidente de moto, hoje, por volta das 16 horas, em Linda-Velha.

Tinha acabado de falar com ele por telefone, passei-lhe um serviço (levantar um envelope em Caxias e entregar no Estoril) e como sempre faço, disse-lhe para ir devagar, pois o piso estava molhado e como o serviço até estava calmo não vali a pena ir depressa. Nisto voltei ao que estava a fazer e 10 minutos depois recebo um telefonema de outro estafeta (Marco), muito aflito a dizer que o Rui tinha tido um acidente mesmo à frente do Pingo-Doce de Linda-a-Velha.
Fui de imediato ao local do acidente e já estavam a pôr o Rui dentro da ambulância, queixando-se de muitas dores nos joelhos. Felizmente e após ter feito um raio-x, constatou-se que não tinha partido nada, apesar de um dos joelhos ter ficado com uma enorme ferida, derivada do contacto com o alcatrão. Reparem que ele trazia vestido calças de ganga e por cima as calças do fato-de-chuva e que mesmo assim feriu os joelhos (por isso arrepio-me sempre que vejo certos "campeões" a andarem de moto de calções, realmente são muito estúpidos!!!)

O Rui deu entrada no Hospital São Francisco Xavier às 16 horas e só de lá saiu por volta das 20H30. Cheio de dores, lá foi ele para casa, tendo sido medicado apenas com Ben-u-ron(??? Não tinham nada mais forte??) e gelo!

Quanto ao acidente foi mais do mesmo: O Rui na faixa dele com carros a circularem tanto à frente como atrás dele, passagem pelo cruzamento do Pingo Doce e no sentido contrário vem uma senhora (não, não era chinesa!!) que de repente vira para a esquerda, apanhando o Rui mesmo de frente!

Penso não existirem dúvidas em relação ao culpado, mas o certo é que a senhora de início disse que não o tinha visto, mais tarde quando me dirigi a ela para lhe pedir os seus dados, ela simplesmente respondeu que não tinha nada de me dar os dados, pois já os tinha dado à Policia e que a culpa não era dela pois ele vinha em excesso de velocidade! Penso que se ela fosse um "ele", tinha logo levado nas trombas , mas..enfim...era senhora e já de certa idade....

Em relação à moto, enfim...coitadinha! A Keeway Speed 150 ficou com a frente quase desfeita! Uma das bainhas da suspensão partiu completamente e a outra ficou empenada, assim como a roda. Guarda-lamas partido, farol partido, manómetros partidos, espelhos partidos, uma tampa lateral também partida (esta desapareceu!! Mas como eram tantos bocados de plástico no chão, nem deu para perceber..), etc, etc...vamos lá a ver se tem arranjo, ou se também como a GTS 250, vai ser dada perda total!



Desculpem pela má qualidade das fotos, mas foram tiradas com o telemóvel e como é óbvio, estava mais preocupado com o estado de saúde do Rui, do que em tirar boas fotos!
Amanhã, se tiver tempo, passo na Motodinâmica e tiro algumas fotos à moto.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Fim da Buell

Segundo o site brasileiro Motonline a Buell  acabou.

O site brasileiro anuncia que  Erik Buell, numa mensagem gravada e colocada no site da marca, agradeceu aos seus empregados pela aventura de 26 anos, o tempo que a marca durou.

Sinal da crise, ou talvez não, o certo é que a Harley-Davidson retirou todo o apoio que dava a esta marca incluindo a cedência dos seus motores.




Verdade seja dita que nunca achei as Buell minimamente interessantes.
Para mim eram motos, feias, desproporcionadas e acima de tudo muito caras. Paz à sua "alma".


(clicar no link para ver a noticia no site da Motonline



Fotos Giras II
























Au au adoruuu scooters au auf!


A minha é maior que a tua!!


Cuidado, olha o autocarro parado à tua frenteeeeeeeeeeeeeeeeee!


Ops...será que o lencinho me protege a cornadura?



(clicar nas fotos para aumentar)

Sou mesmo

bom!

http://www.break.com/index/scooter-showoff-owned-by-pole.html



Mas eu ainda sou "mais" bom que tu!

http://www.break.com/index/scooter-noob-crashes-hard-into-tree.html


(clicar nos Links para ver os videos)

Raridade

Descobri este video por acaso no Youtube e deve ser uma raridade.

Making of de um anúncio feito por Michael Jackson para a Suzuki.

Afinal de contas ele até sabia andar de scooter....

Um pouco de música I

Para mim esta é uma das melhores do Michael Jackson.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Sym

A história da Sym resumida em 5.35 minutos.

Quem não conhece a marca, ou os que pensam que a marca Sym é mais uma marca chinoca de baixa qualidade, devem ver este vídeo.

M.V. Expresso (ou como aproveitar o blogue para fazer publicidade à minha empresa!)

    http://www.mvexpresso.com/

Como muitos já sabem, tenho uma pequena empresa de estafetas. Somos pequenos mas "bué" de Bons!!


 
Aproveitando aqui este meu cantinho e puxando um pouco "a brasa à minha sardinha", quem sabe não vá aparecer mais um cliente, aqui vos deixo o site da M.V. Expresso.


Alguma coisa, digam...estamos cá para bulir...embora por vezes só me apeteça pegar na GTS e ir curtir! lol




              http://www.mvexpresso.com/



(clicar nas fotos para aumentar)

sábado, 17 de outubro de 2009

Fotos Giras I


Como as motos chinocas são pouco fiáveis, nada como ter uma suplente!




Novo modelo Maxi-Puch 2010, equipada com Airbag!!




Escola de condução!



Opsssss!


Acho que estou perdido....


A moto do Claúdio Ramos!!



Cheio de saudades...

Pois é...a vida tem destas coisas, motinha nova na garagem e... eu sem tempo para andar nela!!!!!

Desde 4ª Feira que a GTS não ronca. Está paradinha na garagem, toda tapadinha com uma capa que comprei para ela...3 meses antes de a ter!!!! lol

4ª Feira: trabalho!

5ª Feira: trabalhooooooooooooooooooooo!!

6ª Feira: daaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaassssssssssssssss, mais trabalho!

Sábado: dia de fazer compras, almoço com a familia, passear a famelga, etc, etc....

Domingo: Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! Passear com a GTS!

Um amigo, enviou-me uma msg a desafiar-me para aparecer amanhã, Domingo, numa passeata que o M.S.P. (Maxi Scooters de Portugal) vai realizar. Ainda pensei não aparecer mas...se de um lado estou cheio de saudades daquela malta (de alguns!), por outro, acho que vou ter o prazer de conhecer pessoas novas e que por certo também se tornarão meus amigos, pois todos temos uma coisa em comum: gostamos de motos e adoramos Scooters.

Sendo assim amanhã lá aparecerei para apresentar a minha GTS às restantes Scooters...e tenho de aproveitar este domingo para passear, pois cheira-me que a partir da semana que vem o tempo vai piorar e as saídas serão menos.

QUERO ANDAR DE SCOOOOTERRRRRRRRRRRRRRR!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Até a mosca tem um GPS...

... senão como é que encontrava a saída?


Achei este anúncio hilariante!

Nunca mais vou olhar para a Sym Mio da mesma forma!!

Existem os Village People, existe o "I will survive" e existe este anúncio sobre a Sym Mio!!!!!



Que rabiolice, dasssssssssssssss!!!

A scooter preferida do King-Kong

Até o King Kong gosta de Scooters!!!!!

Diferenças entre a Sym GTS 250i e a GTS 300i Evo

Como tenho visto algumas pessoas a perguntarem quais são as diferenças entre a Sym GTS normal e a Evo, resolvi escrever um pouco sobre isso, visto que já tive a antiga (GTS 250i) e agora tenho a nova, a 300i Evo.
Logo à partida a diferença mais significativa é ao nível do visual. A Evo está mais modernaça, mais ao gosto dos europeus, habituados ao design que nos é dado pela  maioria dos grandes construtores Japoneses e italianos. Falo da dupla óptica frontal, tão comum hoje em dia na maioria da scooters e motos que por aì circulam. O conjunto de luzes totalmente original, fazia (e faz) a diferença quando comparada com as outras scooters.
Quanto a mim a primeira Honda Silver Wing, também se distinguia das outras scooters, precisamente pela sua parte da frente. A actual também está muito  bonita, mas a anterior era mais original.
Continuando nas GTS, na zona frontal só mudaram mesmo as ópticas e o "boomerang, pois a posição dos piscas e das luzes de nevoeiro é precisamente a mesma.

Sym GTS 250i

                                  Sym GTS 300i Evo

Na parte de trás tudo ficou igual, a nível de luzes, mantendo os já tradicionais leds.
Para mim a grande vantagem dos leds, além de maior luminosidade, é o facto de consumirem pouca energia, logo, são amigos da bateria.
Mantiveram o encosto do pendura, apesar do encosto da Evo, estar mais bonito, melhor acabado, pois enquanto o encosto da GTS é todo forrado a napa, o da Evo já tem uma "armação" em plástico, na cor da moto. Em branco resulta particularmente bem.

No cockpit, modificaram a forma de abrir dos compartimentos. Em relação à GTS original, na Evo a abertura do compartimento do "tablier" passou a ter uma pequena pega para se abrir, bem melhor que o sistema de mola da GTS, que por vezes abria em andamento, quando se passava em pisos deteriorados. Em relação ao compartimento situado entre o assento e o "tablier", que na GTS também abre por mola, na Evo foi colocado um botão de abertura, tornando tudo mais prático e fácil.

Na Evo o comutador de luzes só tem duas posições, On/Off, enquanto a GTS tem Off/Presença/Médios. A Evo liga automaticamente a luz de presença quando se liga a ignição.
A cor dos manómetros passou de branco para azul. Gosto mais dos manómetros brancos da GTS.

Sym GTS 250i

                               Sym GTS 300i Evo

Comparando dinamicamente as duas motos noto o seguinte:

Fora a diferença de cilindrada/potência que afinal não é assim tão grande, notando-se apenas em média/alta rotação, noto que a Evo está mais equilibrada,  não sei se devido ao facto da colocação e peso do motor da 300i ser diferente da 250. Naquelas manobras feitas a velocidade baixa, quase parado, noto que está mais equilibrada, mais maneável e em andamento acho-a mais "agarrada" ao chão. A diferença só pode estar no centro de gravidade, possivelmente mais baixo na Evo, devido à tal diferença de peso e na posição do motor no chassis da moto.

De resto....ambas são uma maravilha!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

1ª Revisão (12-10-09)

2ª Feira, quando a malta da Miguetec me viu chegar e dizer que ia deixar a GTS, para fazerem a primeira revisão, ficaram de boca aberta! Já fizeste os mil quilómetros????? Então este gajo levantou a moto na 5ª Feira ao fim do dia, e hoje 2ª Feira já aqui está para a revisão!? Ah pois é...

Bom, vamos ao que interessa: deixei a moto na Miguetec, na Segunda-feira à tarde e...no dia seguinte, a seguir ao almoço já estava pronta!

Esperando pela revisão, muito bem acompanhada....
 
Fizeram a revisão normal e uma vistoria mais profunda ao nível das caixas de direcção e guiador, sendo este reapertado (espigão?) devido a, tal como escrevi aqui, o guiador ter vindo desalinhado!
Aliás, outra GTS 300i (a tal pretinha) também padecia do mesmo mal.

Em conversa com o Miguel Nabais e o Manuel, chegou-se à possível conclusão que o facto da direcção das GTS 300i vir  mal alinhada poderia ser devido a uma braçadeira que elas trazem ligando o guiador à armação da caixa onde vêm, quando são transportadas. Mas ok, como nada ficou danificado...siga!

Paguei pela revisão 40,00 €, ou seja apenas  um euro e "picos" a mais do que tinha pago pela 1ª revisão da GTS 250. Nada mau, sem dúvida!

...de um lado uma KTM, do outro, uma CBR 1000 RR!



Já podem comentar (ou como sou um zero à esquerda nesta treta!)

Pois é, através de emails  e telefonemas enviados por pessoas amigas, fui informado que não conseguiam colocar comentários aqui no blogue.

Pois....a culpa é minha! Isto de ser novato nestas coisas dá nisto, mas depois de uma grande guerra ali com as ferramentas disponíveis finalmente descobri o erro e...já está!


Sorry, mas ninguém nasce ensinado! lol

Fim de semana com ela....

Fim de semana de 10 e 11 de Outubro.
Previsão meteorológica: Muito sol e temperaturas acima da média para a altura do ano...
... ou seja o ideal para a minha 1ª viagem na GTS 300i.

Nem foi preciso o despertador tocar, pois já estava acordado, aliás dormi mal de Sexta-feira para Sábado, tal era a ansiedade para me pôr ao caminho.
Levantar da cama às 7 da matina, espreitar o tempo, reparar que estava frio e só então é que me lembrei que não tinha blusão para andar de moto! Ora bolas! E agora???! Porra, ainda nem sai de casa e já estou com problemas? Que raio! Fui  logo esquecer-me que não tinha casaco e andar o fim-de-semana todo sem andar equipado como deve ser, nem pensar!

Foi puro esquecimento! Esqueci-me que quando tive o malfadado acidente, no hospital cortaram-me o blusão todo à tesourada para me despirem, antes de fazer a TAC. Como nunca mais precisei dele nunca mais me lembrei!
Bom, tudo tem remédio, ora deixa pensar....hum....Sábado, está quase tudo fechado, menos os Salgados na Adroana, Estoril.
Motinha fora da garagem, arrumar a trouxa debaixo do assento (que falta faz uma top-case...vai ser uma das próximas aquisições) enquanto o motor vai aquecendo, passagem obrigatória na Galp para atestar e lá vou eu em direcção aos Salgados.

                                Saída de Linda-a-Velha, com 213 km.

Cheguei lá por volta das 8h 45 e...."ganda" azar! Aos Sábados só abrem às 10 horas! É preciso ter um grande melão! Bom...por acaso até tenho....lol!
Dez horas em ponto, abrem a porta e lá vou eu desenfreado em direcção aos blusões....este não serve, este não gosto, este não serve, este é caro, este não....ops este serve! Espectáculo! É este mesmo! Nada como ser atendido por quem percebe da "poda"!! Acabei por comprar um óptimo casaco, tipo "parka", com protecções nos ombros, cotovelos e costas.
Um BHL Gibus, fabricado pela Bering e que custou a módica quantia de 99,60 €.

Blusão vestido e lá vou eu, finalmente! Ahhhhhh, até que enfim! Andar de moto sem ser em serviço, andar de moto pelo simples prazer de andar de moto! Porra, parecia um puto de tão feliz que estava! Finalmente volto a ter a moto que gosto!

Lá vou eu nas calmas, 80/90 km/h em direcção ao IC 19, 2ª Circular e A1. Saída da Azambuja, para não fazer mais auto-estrada, pois aquela velocidade ia adormecer de certeza!
Era mesmo caso para dizer "devagar devagarinho e parado"....ou quase, tal era a calma com que viajava. O  motor da GTS lá ia ronronando certinho, satisfeito por eu não estar já a apertar com ele. "Tem calma - pensava eu -  tenho muito tempo para te esticar, depois não te queixes!"

Passo Rio Maior e...é isso, vou fazer a 1ª paragem no "O Bigodes". Desde que me lembro, já desde o tempo das viagens com os meus pais, a paragem neste restaurante era  e é obrigatória.

                                 No Bigodes

Um galão quentinho, e uma sandes de queijo e lá voltamos nós à estrada. Apesar de rodar a velocidade baixa, nesta fase sempre a rondar os 90 km/h, se evitarmos as Auto-Estradas e vias rápidas, dá um imenso prazer viajar a esta velocidade, pois temos tempo para irmos vendo a paisagem à  nossa, volta, observando as vilas, aldeias e lugarejos por onde vamos passando. Ficamos com uma maior percepção dos sítios por onde passamos, muito diferente do que se fossemos a velocidades mais elevadas.

Entretanto, avistei o Mosteiro da Batalha, motivo de sobra para uma paragem e...uma foto. A paragem aqui foi rápida, pois queria fazer km e...."bora" aí até Fátima.
Gostei de fazer a estrada que vai da Batalha até Fátima, apesar de em alguns sítios o piso não estar nas melhores condições, aquelas curvinhas, já deu para entreter um bocadinho.

A visita a Fátima também foi curta, apenas o tempo necessário para conversar um bocadinho com Ele (sim, tenho grandes conversas com Ele, é um "tipo" porreiro.
Não sou muito dado a religiões, aliás basta ler o que tem sido feito ao longo dos séculos em nome de Deus. Mas ok, estou aqui para falar na minha viagem e...toca a rodar mais um bocadinho, pois a fome começava a apertar e eu queria ir almoçar ao Manjar do Marquês, que fica a seguir ao Pombal.

Motinha estacionada em frente da entrada principal do restaurante e claro...lá fui eu devorar o belo arroz de tomate e os panadinhos da praxe. Para mim e sempre que viajo para Norte pela nacional, faço questão de almoçar ou jantar sempre no Manjar do Marquês. E como sempre o mesmo! E nada melhor para terminar a refeição que saborear aquele divino leite creme queimado que lá servem! Simplesmente de comer e chorar por mais!

                                            Esperando pelo comilão!

Mais quilómetros pela frente em direcção a Coimbra e é nesta fase da viagem que começo a ver cada vez mais peregrinos que vão em direcção a Fátima. É sempre com imenso respeito e admiração que me cruzo com eles, tendo sempre muito cuidado, pois por vezes e como viajam em grupos grandes, chegam a ocupar parte da faixa de rodagem.

Coimbra à vista! Continuo a dizer que Coimbra é uma cidade bonita! Bom... sou suspeito, simplesmente adoro Coimbra.
Um paragem à beira do Basófias para desentorpecer as pernas, beber uns golos de água fresca, pois por esta alta fazia bastante calor e claro tirar uma bela duma foto à GTS tendo por fundo a cidade dos estudantes.

                                Basófias com Coimbra ao fundo (Universidade)

Epá, isto está a ficar tarde! Quero ir ver o jogo da Selecção a casa da minha irmã. Já tinha decidido que ia pernoitar ao Carregal do Sal, onde ela vive mais o marido e os dois "malucos" dos filhos! Bom, diga-se de passagem que tanto a minha irmã como o meu cunhado também não batem bem da bola, e sendo assim, "quem sai aos seus...."

Rodinhas na IP3 e toca a rolar! Adoro fazer o IP3!  Nesta fase da viagem deixei que o ponteiro ronda-se algumas vezes a marca dos 100 à hora. Comecei a deixar de ser uma "chicane móvel" para a maioria dos automóveis que por mim passavam e já comecei a circular a velocidades mais "decentes"!

Passagem muito rápida pela Barragem da Aguieira só mesmo para tirar uma foto (mas o sol estava contra e as fotos ficaram uma "ganda cagada!") e Carregal aí vou eu!

                                   Barragem da Aguieira
Em cima da barragem da Aguieira

Chegada ao Carregal por volta das 18h30, foto da praxe, desta vez junto ao Quartel dos Bombeiros, chegada a casa da minha irmã e, lá vai a GTS para a garagem descansar, pois bem merece.
A minha irmã como sempre presenteou-me com um "jantareles" à maneira e... a Selecção venceu! Deu 3-0 aos húngaros! Foi bom, sem dúvida! Apesar de não gostar do Carlos Queirós, espero bem que a selecção vá ao Mundial....já não falta tudo!

Bombeiros Voluntários do carregal do Sal

Bom diaaaaaaaa!!...8 da matina de Domingo, toca a levantar, duche tomado, pequeno almoço digerido, descer de elevador até à garagem, abrir o portão e..."dasssssssssssssssssssssssssssssss, tá um frio do c******!!!!!
Pois é, aqui os ares são outros! Depois de motor aquecido, blusão apertado até quase só ficar com os olhinhos de fora e depósito da scooter bem cheio, lá vou eu em direcção a Seia.

Quilómetros percorridos de Linda-a-Velha ao carregal do Sal

Seia, como é lógico, é para mim uma cidade muito especial, pois o meu pai é de Seia e foi ali que passei quase sempre as férias de Verão, a maioria dos Natais da minha infância e foi lá onde frequentei a 1ª classe e o 1º Ano do Ciclo Preparatório. Adoro visitar Seia, mas deixa-me algo nostálgico. Se por um lado é sempre bom visitar todos os recantos onde brinquei, quando era bem miúdo, por outro fico um pouco nostálgico por ver que muita coisa mudou e se antes andava pelas ruas de Seia e conhecia toda a gente, hoje...isso foi-se! Gente anónima, gente que se encontra em todo o lado, em qualquer cidade. É, isso, estou a ficar velho e ainda não tinha dado conta, ora bolas!


A casa onde durante muitos anos viveram os meus avós e tios.

Igreja de Seia

                                                                 Vista de Seia

Ok, já não sou novo mas a GTS é novinha em folha por isso toca a galgar Serra acima! Ah, pois é...lá fomos nós por ali acima, estrada que conheço quase de olhos fechados, pois tantas foram as vezes que por ali passei. Aqui tenho de realçar o óptimo comportamento da Sym. É certo que nunca tinha feito a Serra numa moto automática, mas o seu comportamento, apesar da baixa velocidade é surpreendente. Como não se perde tempo a reduzir e a meter mudanças, o motor nunca perde rotação e é um regalo à saída das curvas, mesmo a subir vertiginosamente, dar acelerador e vê-la rapidamente a ganhar velocidade e sempre levando em conta que estava em rodagem.


Lá ao fundo, Sabugueiro

Paragem no Sabugueiro para dar uma espreitadela a uns cachorritos e Torre aí vou eu! É sempre nesta fase da subida que se nota uma rápida descida da temperatura e quando se chega à Torre, apesar de estar um lindo dia de sol, a temperatura é sempre baixissima!

Tão baixinha que sou, deve ser das rodas!!

Eu quero queijooo da Serraaaaaaa!

Uma voltinha a pé pela torre, uma visita a uma loja de produtos da zona e...descubro que conhecem a minha família e os meus tios. Conversa puxa conversa e lá passei uma boa meia hora na palheta com os donos do estabelecimento, com direito a café à borlix e tudo!. Ir á Serra e não trazer de lá o belo do queijo da Serra é pecado e como quero ir para o Céu, lá veio comigo um belo queijinho da Serra.
Bom, isto começa a ser complicado...sem top-case...ok, deixa cá ver, aperta daqui, encolhe dali e lá consegui meter o queijo na "bagageira" da moto, pensando no entanto que ia aquecer...um bocadito!
E agora toca a descer! A Covilhã é já ali ao fundo. Posso dizer que fiz esta descida bem devagarinho, encostando aqui e ali  para ficar deslumbrado com aquela vislumbrante paisagem.
Nesta fase  da descida para a Covilhã deu para sentir que a GTS 300 tem mais travão-motor que a GTS 250. Penso que seja devido à maior cilindrada. Não é nada por aí além, aliás nem podia ser, visto que é uma automática, mas que se nota uma pequena diferença entre as duas, lá isso nota.

A Covilhã é uma cidade que não me diz nada, assim como o Fundão e sendo assim, foi...sempre em frente!

                                    Chegada à Covilhã

Entrei na A23 em direcção a Castelo Branco, onde queria parar para almoçar mas...que seca! Andar numa via rápida a 90/100 km/h durante dezenas de quilómetros e dezenas de quilómetros é simplesmente SECANTE! Salvou-me o telemóvel com música que fui ouvindo, enquanto lá ia em direcção a Castelo Branco.
Normalmente quando vou a algum lugar que não conheço e pretendo almoçar ou jantar, dirijo-me sempre aos mais idosos e tendo indagar sobre um restaurante onde se coma bem e seja baratinho. Normalmente resulta, mas desta vez bem me lixei! Vi dois velhotes, encostei, fiz a pergunta da ordem e....estive quase meia hora a ouvi-los a discutirem um com o outro sobre qual o melhor caminho para eu ir até ao Restaurante Floresta que fica mesmo ao lado da Sé.
"Vai pelo túnel" - dizia um - "não vai nada, assim o homem perde-se" - dizia o outro...e eu ali a curtir o filme e cheio de vontade de rir. O pior foi depois...lá fui eu pelo túnel, vira aqui vira ali, lá vi ao longe a cúpula da Sé... andei mais um pouco, avistei o restaurante e....estava fechado! Ora que porra! Tanta conversa e discussão e aqueles dois "marmanjos" não se lembraram que aquilo fechava aos domingos! Bom, adiante que se faz tarde...vira aqui, vira ali...mais uma rotunda e voilá! Um restaurante! É aqui mesmo!

Um posta de bacalhau assada no forno, com batatinha à murro no bucho e lá volto eu outra vez à A23. Chiça que tédio......mais um quilómetro....mais um quilómetro, e outro... não, assim não dá, estou farto disto. Vou sair na primeira saída! E se assim o pensei melhor o fiz. Placa a indicar Gavião e lá vou eu! Entretanto vejo uma placa a indicar Belver, vila por onde já tinha passado, quando testei e escrevi sobre o Rover 75...já lá vão alguns...muitos anos!

Belver
Ponte de Belver

Belas paisagens e belas estradas e foi a partir daqui que resolvi acelerar um pouco o ritmo da viagem, passando a circular mais consistentemente com o ponteiro a rondar os 100/110 km/h. Posso dizer que foi nesta fase da viagem até Abrantes onde mais me diverti. belas estradas, com óptimo piso, curvas óptimas...e a GTS toda deitadinha nas curvas! Uahuuuuuuuuuuuu agora sim, estou a divertir-me! Acelera,,desacelera e trava antes da curva, entra na curva, deita....deita...deita....a meio da curva dar gás e yuuuuuuuuuupiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii isto sim é diversão! E num instante estava a chegar ao Pêgo, já bem perto de Abrantes!

Uma rápida paragem para a foto da praxe com as duas chaminés da central do Pêgo como pano de fundo e...dá-lhe gásssss!!.

Central do Pêgo

Ir a Abrantes e não passar por Rio de Moinhos e devorar uma bela tigelada é o mesmo que ir a Roma e não ver o Papa. Muito sinceramente as tigeladas de Rio de Moinhos são simplesmente divinais! Claro que tive de trazer umas para casa, pois senão... levava com o rolo da massa!

Ponte sobre o rio Tejo, Abrantes.

Ops e agora!? Onde meto a ****** das tigeladas! Bom, lá terá de ser...aranha, e....saco da roupa preso em cima do assento. Aqui reparo em algo negativo na GTS. Não tem sítios onde se possam prender
os ganchos da aranha. Nota negativa neste aspecto para a GTS.

A bela da tigelada

Na GTS250 nunca dei por falta de sitio para prender a aranha, talvez por ter top-case e normalmente prender a aranha ao suporte da mala. Bom, assim como assim sempre dá para prender, mas atenção, muito cuidado com os sítios onde se colocam os ganchos da aranha, pois com muita facilidade se risca a pintura.

                                Ponte de Constância

De Abrantes a Constância é um pulinho, passagem obrigatória pelo lindíssimo Castelo de Almourol, Entroncamento, Golegã, Almeirin e..paragem de quase meia hora em Alpiarça, por causa de uma "manada" de quase 500 ciclistas que estavam a passar. Esta malta já vinha a pedalar desde o Algarve e o destino era Fátima! Valentes, sem dúvida. Lá está a tal fé e devoção que move montanhas, que tanto respeito e sim, também invejo! Não sei se seria capaz.

                                 Castelo de Almourol 

A GTS medindo forças com a velha locomotiva, símbolo do Entrocamento

                                Ainda hoje, é imponente.

                                                   Não sei porquê, gostei muito desta foto!

Rotunda do cavalo, na Golegã

Ciclistas para trás e ala que se faz tarde em direcção a Salvaterra de Magos, Porto Alto, Vila Franca e finalmente a auto-estrada em direcção a Lisboa.

Ciclistas em Alpiarça

Auto-estrada? Então vai ser aqui que esta malta vai ver o que é a Sym a andar! E toca a puxar, pois já tinha mais de novecentos quilómetros e estava na hora de lhe dar o primeiro puxão a sério! E pimbas, 100, 110, 120, 130, 140 e....150, já bem dentro do red-line, mas sem se notar esforço e mais estranho ainda, sem sentir o corte da injecção tal como acontecia com a 250 que cortava por volta dos 140/145.  Hum...para primeiro puxão a coisa promete!

E lá cheguei eu a Linda-a-Velha, sim é verdade, cansado, pois foram muitos quilómetros a baixa velocidade e também porque já não estava habituado a fazer uma viagem grande.

Chegada a Linda-a-Velha, com 991 kms marcados

Quanto à Sym GTS 300i Evo, neste fim-de-semana rodou 778 quilómetros!!!  Fora as dezenas de insectos que tinha esborrachados na frente, vidro e espelhos, nada de mais a relatar.
Comportamento excelente, óptimo conforto e até dá para fazer umas brincadeiras nas curva!

Se tivesse algumas duvidas em relação à GTS 300, o que não acontecia em virtude de ter tido a GTS 250 e saber bem o que é esta scooter, essas teriam desaparecido depois desta viagem.

Estou feliz com a moto que comprei. É exactamente isto o que quero numa moto! Estou apaixonado...